Serão estes alimentos mesmo saudáveis?

Por vezes, somos levados a pensar que um determinado alimento é saudável quando na verdade não é! Ou que são potencialmente benéficos para a saúde e na verdade são péssimos.

É importante que vejas os rótulos e percebas a sua composição. Expressões como “light”, “sem açúcares adicionados”, “baixo em gordura”, entre outros, não te garantem que estes sejam nutricionalmente bons e saudáveis.

Já estás a pensar “Mas quais alimentos?". Vamos ajudar-te!

1 – Sumos de Fruta

Quem não adora um sumo de fruta fresquinho ao pequeno almoço?

Sim vem da fruta e é natural, mas ao fazeres o sumo estás a extrair apenas a parte líquida, rica em açúcar, e a desperdiçar as fibras e outros nutrientes que ficam na parte sólida.

Privilegia o sumo de fruta feito na misturadora em vez de utilizar o espremedor. Mas claro, como em tudo na vida, não precisamos de ser fundamentalistas, um sumo feito no espremedor de vez em quando sabe bem! 

2 – Granola

Um dos alimentos da moda, a granola! Pode conter cereais, mel, frutos secos, passas, frutos vermelhos, diversos tipos de sementes, etc... Há imensas ofertas nos supermercados e é vendida como sendo um alimento saudável.

Contudo, é importante teres cuidado... em algumas alternativas 100g podem ter mais de 500Kcal.

Sugerimos que faças a tua em casa, bem mais saudável e podes controlar a quantidade dos açúcares e desenhar a melhor combinação para os teus objetivos.

3 – Barras de Cereais

À semelhança da granola, também as barras de cereais nos são apresentadas como alimentos saudáveis. E, com uma variedade imensa de sabores e combinações, são super úteis para utilizar como snack a meio da manhã ou da tarde.

Mas a maioria é extremamente rica em açúcares e hidratos de carbono, e, na realidade, o valor nutricional destas barras é muito reduzido.

Mais uma vez podes optar por fazer as tuas versões caseiras ou ler bem os rótulos procurando opções ricas em proteína e fibras e que induzam saciedade, mas com baixo teor calórico e quantidades de açúcar reduzidas.

4 – Fruta desidratada

Sim, voltámos à fruta e mais uma vez para concluir que devemos dar preferência à fruta no seu estado original. A regra é, quanto mais processado, menos saudável!

A maioria das opções do supermercado são extremamente ricas em açúcar. Ao desidratares a fruta estás a promover uma concentração da frutose e a eliminar vitaminas e fibras.

5 – Bebidas desportivas e energéticas

A grande maioria das bebidas energéticas é desenvolvida para desportistas com mais de uma hora de atividade aeróbica intensa, sendo extremamente ricas em sais – sódio e potássio – de modo a repor estes compostos que são perdidos durante o exercício físico intenso. Portanto, o verdadeiro problema destas bebidas é o seu uso generalizado e regular por qualquer praticante de uma atividade física.

Se praticas desporto de forma regular sem a intensidade de um profissional, a água será suficiente para repor os teus níveis normais.

6 – Refrigerantes e bebidas ZERO

Mais uma vez, um erro de interpretação. O facto de ter zero calorias não significa que seja saudável. É verdade que não conta para a ingestão calórica diária mas por norma estes refrigerantes são extremamente ricos em químicos e altamente processados.

7 - Cereais Integrais de Pequeno-Almoço

Os cereais podem ser aquele pequeno-almoço rápido antes de sair de casa. O problema é que na maioria das versões de supermercado estão “carregados” de açúcares. À semelhança da granola e das barras, podes optar por fazer a tua própria mistura.

Se optares por comprar no supermercado tem atenção à quantidade de açúcar, sal e fibra, e respeita as porções indicadas nas embalagens.

Nota GetFit

As marcas comerciais, de uma forma geral, sabem quais são os ingredientes que nos fazem gostar mais dos alimentos e quais são aqueles que nos farão repetir a compra mais rapidamente.  Também sabem quais são as tendências de consumo, sabem a importância do "saudável", do "eco", do "light", do "tradicional", do "sem corantes, nem conservantes", etc. E utilizam esta informação jogando com as palavras para que o consumidor compre os seus produtos acreditando que é a escolha mais acertada. 
As normas europeias e nacionais que obrigam os rótulos a conter informação que permita ao consumidor fazer compras esclarecidas e informadas, ajudam-nos a selecionar com mais critério portanto devemos lê-los e saber o que significam.

Mas essa informação é suficiente?

Pode não ser! Porque nem todos temos a capacidade de compreender a informação que está nesses rótulos, e muitos menos são os que sabem qual a sua dieta ideal. 
É também por isso que a ajuda de um Nutricionista é importantíssima quando procuras atingir determinados objetivos, ou, simplesmente, comer melhor!

Tens dúvidas?
Fala com a equipa GetFit.

Deixa um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem publicado.